10/07/2013

Veneno tomado


Minha ironia devia matar a quem me fere,
Mas não, engulo meu veneno e morro pela alta dosagem de desconfiança
Pra que deixar vingar a esperança,
Em um terreno tido como infértil???

Se já determinaram seu destino
Amaldiçoando-o com maus agouros
Não tentes fingir que não é do coro
Daqueles que me matam por acaso...

Ah, mais eu estou farta
de me calar diante deste destino
E lutarei com garras de um felino
para defender minhas certezas.

Desse veneno tomado
Tantos goles dragados
e dores plantadas
por nada.

Correta ou não, eu cansei
deste veneno que já provei
Não quero ter se quer uma lembrança.

                        - Lais R Dias 9-9-2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário