10/07/2013

O Ritual


Ela andava sozinha observando o luar,
Ela estava sozinha naquele lugar
Ela transbordava harmonia
Sem se quer notar.

Ela era preciosa,
E na sua dança passava a flutuar
Tinha a leveza do ar
E a benção da Deusa

Seu sorriso irradiava amor
Não havia ali espaço para dor
Tudo parecia mágico
E ela se esquecia de tudo que em sua vida foi trágico.
 
Seu báculo era sua varinha
E com ele ela conjurava a solução
Estava atrás de uma resolução
Que só a Deusa podia lhe dar.

Chamou o fogo para lhe aquecer,
Implorou a terra por proteção
Pediu para a água as impurezas remover
E do ar esperou erudição.

Só faltava mais um,
E sem fazer ruído algum
Ela o conjurou
E logo o espírito também se manifestou

Seu circulo estava completo
E o encantamento se mostrava repleto
De boas vibrações
Estas lhe traziam varias sensações

Na face da Deusa um sorriso surgiu
Sua filha estava feliz em exaltá-la
E então ela se permitiu
Naquele pequeno instante agraciá-la.

Tudo estava tão bom
Ela não queria quebrar o encanto
E por isso entoava cantos
De uma era a muito esquecida.

Não notou quando foi tocada
Muito menos sabia que estava sendo agraciada
E que tudo conspirava a seu favor
Por ter demonstrado seu valor.

Reverenciando sua mãe
Que também era sua irmã
E uma sábia.
Tudo naquele momento a agradava.

Agradecendo o circulo ela fechou
Deixou o espírito, o ar, a água, a terra e o fogo partir,
Também tinha vontade de ir,
Mas ainda tinha muito a fazer.

Com o final daquele ritual
Sua alma estava agraciada
E seu espírito gozava
Da mais pura alegria.


Laís R. Dias - 15-06-2011

Aos Escritores...

Parabéns, aos amigos
aos anônimos e conhecidos,
aos que começaram ,
e os que seus projetos terminaram.

Aos que criam mundos e fundos,
aos que encantam e atentam,
aos que ludibriam e fatos recriam.

Aos que criticam e emocionam,
aos que usam papel e caneta,
e os que usam da tecnologia.

Aos que escrevem prosa e versos
aos que criam textos complexos,
aos que aqui estão,
e aos que já se foram.

Aos que escrevem livros ou novelas
aos que falam aqui desta terra (chamada Brasil),
e aos que falam de outros cantos do mundo, (e universo)
aos que conspiram e aos que buscam solução.

Aos que escrevem e aos que ditam,
aos que sorriem e aos que choram,
aos que idolatram e aos que imploram...
A todos os escritores o meu sincero parabéns.


( Lais R Dias - 25/07/2011)

Dizendo Adeus

O dia pode parecer lindo
O calor pode ser agradável
Mas nada me parece suportável
Tudo parece estar meio “deprê”.

Não rolam lágrimas
Já derramei tudo que tinha para derramar
Sei que ainda continuarei a te amar
Mesmo você não estando mais presente.

“Ta” tudo meio cinza
Meio descontente
A alegria não consegue me tocar
Talvez eu queira ver você ai, onde você está.

Sabe bate uma saudade
Toda vez que eu lembro
Que não posso mais te encontrar
Com você conversar, abraçar ou beijar.

No fundo, no fundo, sinto sua falta
Não sou capaz de dizer adeus,
Você ainda vive em mim
E alguns sentimentos meus, são teus.

É difícil saber que você não estará lá
Saber que eu não posso mais ligar
Saber que não posso mais quebrar as regras com você.

Pra onde você foi?
Porque se foi?
Você faz falta
E essa saudade não vai passar.

Teu abraço ainda me trás uma lembrança
De quando eu ainda era criança
E viajava pela cidade
Apenas para ir te ver.

Era tudo tão bom
Até as conversas sérias
Você fazia as coisas parecerem melhores.

Hoje sou obrigada a dizer adeus
Enterrá-la em seu sepulcro
Dentro de um cemitério.

        Laís Regina Dias - 29-08-2011

O mundo grita


A tantos gritos no mundo...
O de liberdade e amor,
de dor e horror.
De alivio... Ânsia e até o de ganância.


O mundo grita
aos poucos se agita.
Mas logo adormece
calado, medroso... rendido


E os ouvidos de quem pode mudar parecem surdos
adormecidos, em vários sons mudos.
Abafados por faxadas de mentiras
e pelas linhas imaginárias dos territórios.


Já não grito mais,
apenas observo os sinais
que o mundo emana todos os dias,
calmamente, sem gerente algum
para sua sinfonia.


Aos que querem enxergar
Bem vindos,
Aos que preferem se calar
Tenho pena, já que as mentiras os detém cativados, submissos... Inertes.


E nada muda,
na á de evoluir
sem esse véu de mentiras cair
Continuaremos imersos nas trevas.
      - Laís R. Dias - 10/08/2011

Minhas magoas em palavras



Tanta coisa dói
Tantos pensamentos me assustam
Tantos rancores me envenenam
Tanta maldade me rodeia
E os maldosos comentários me abalam...

Quero um tempo
Dessa vida adulta e ingrata
Dessa cobiça insensata
Desse desamor e desse desapego

Não sou como me vê
Não me permito criar raízes
Gosto de mudar, de lutar...
Gosto principalmente de viver.

Penso tanto em mim quanto nos outros
Mesmo que esses outros em mim não pensem
Eu não ligo...
Não esperava que fossem diferentes.

Tentam matar minha bondade
Massacrar minha felicidade
Quebrar em mil pedaços minha paz
Minha tranqüilidade... Minhas verdades.

Penso e ajo diferente
Não por ser alguém descente
Mas por ter outros valores...
Outras motivações.

Tenho pra mim que a sinceridade
Dos amigos que vez ou outra me magoam
Vale mais que a maldade
Dos que me alisam e tentam me enganar.

Não direi que gosto disto
Preferia vagar pelo infinito
Sem conhecer tamanha farsa
Tamanhos defeitos e deslealdades

Mas já que é para crescer
Seguirei em frente
Aprenderei com essa gente
Que no fundo não tem nada a me ensinar.

Esconderei minhas magoas
Aliviarei-me em palavras
Seguirei pelo desconhecido caminho do destino
E aprenderei com minhas falhas.
Pois é isso que esperam de mim.

             - Laís R. Dias 18/08/2011

Minha definição do que sou

Minha definição do que sou,
Agora nesse instante
Não no seguinte
Pois sou um ser errante
Em constante transformação.

De tudo que eu vivi,
Do pouco que aprendi
Da certeza de nada ser certo
Dos medos do incorreto
De tudo que eu já fiz
Ou tive de refazer,

Eu sei, que sei muito pouco
Quase nada, perante ao que lhei de aprender
Mas também sei que, sei muito
A respeito de muitas coisas
De muitas pessoas
De alguns lugares.

Também sei segredos,
Mentiras e confissões
E tudo isso me trás grandes confusões
Incertezas descabidas
Medos descontentes.

Sou apenas uma
Dividade em muitas partes
Muitos milhões.
Que se unem e destroem.

Formando minha personalidade inconstante.
De muitas faces e fases,
De muitos eu's,
Onde deveria ter apenas um!
           
            - Laís R. Dias 22-07-2011

Veneno tomado


Minha ironia devia matar a quem me fere,
Mas não, engulo meu veneno e morro pela alta dosagem de desconfiança
Pra que deixar vingar a esperança,
Em um terreno tido como infértil???

Se já determinaram seu destino
Amaldiçoando-o com maus agouros
Não tentes fingir que não é do coro
Daqueles que me matam por acaso...

Ah, mais eu estou farta
de me calar diante deste destino
E lutarei com garras de um felino
para defender minhas certezas.

Desse veneno tomado
Tantos goles dragados
e dores plantadas
por nada.

Correta ou não, eu cansei
deste veneno que já provei
Não quero ter se quer uma lembrança.

                        - Lais R Dias 9-9-2011

O outro lado (nome pode sofrer alterações)

(minha carinha de "To nem ai")

Porque eu não sou tão idiota
a ponto de deixar você me usar
Eu posso parecer estúpida garoto,
Mas as aparências enganam.

Você diz que tudo vai bem
Mas não para de olhar para o lado,
Se elas tanto de agradam, vá em frente
E não me procure durante a noite

Eu pareço ingênua e insegura
Eu falo coisas que às vezes não fazem sentido
E por isso eu pareço descartável,
Mas Baby, eu não sou.

Pode ver que elas valorizam o quem você tem
Suas curvas parecem perfeitas agora
Porém cedo ou tarde isso vai mudar
E todo o conteúdo que elas têm vai acabar

É estanho como as coisas funcionam
Ser a garotinha esperta não parece o bastante
Vocês estão sempre cobrando mais e mais
E é só aparência...

Eu pareço ingênua e insegura
Eu falo coisas que às vezes não fazem sentido
E por isso eu pareço descartável,
Mas Baby, eu não sou.

Quero ver qual vai ser a graça dela no dia seguinte
A maquiagem vai estar borrada e nada era de verdade
Seios falsos, mentiras e mais mentiras...
Ela te enganou direitinho não é?

E agora, vai ter coragem de apresentá-la aos amigos? A família?
Ah, não... Você não achou que seria fácil se livrar desta não é?
Mas ela grudou em você e as juras de amor de ontem foram apenas palavras...
Ela é uma garota estúpida... e você só mais um idiota preso em sua teia.

Me diz, a aparência ainda importa?
Ela se mostrou tão sem idéias quanto ações
No início parecer chame,
Mas agora você enxergar a teia de ilusões

Eu pareço ingênua e insegura
Eu falo coisas que às vezes não fazem sentido
E por isso eu pareço descartável,
Mas Baby, eu não sou.

Somos mulheres queridos,
Sabemos como irritar umas as outras
Se para alguma isso é um jogo,
Para outras é mera formalidade,

E pra mim não passa de uma besteira
Mas se quer jogar, vá em frente
Mas não espere que eu esteja aqui quando voltar
Você sabe, eu não sou assim.

Vocês homens nunca vão notar
São pequenos de mais pra isso
Mas se uma garota se joga pra você
É inevitável, sua namorada vai perceber

Esse não é um jogo de damas,
Aqui o prêmio é você
Até que você também já não tenha utilidade
Porque às vezes as garotas são fúteis e querem apenas irritar.

Eu pareço ingênua e insegura
Eu falo coisas que às vezes não fazem sentido
E por isso eu pareço descartável,
Mas Baby, eu não sou.

Agora diz que valeu a pena??
Uma noite foi melhor do que meses dedicado a você?
Oh, querido, não se preocupe
Todos aprenderam uma lição

Eu não era pra ser sua
Tem outros melhores atrás de mim
E sabe eles não ligam pra futilidade
Acho que essa é a melhor parte

Você foi um idiota,
E esta pagando por isso agora
Garotas estúpidas são assim
Cansam e te colocam de lado.

Por isso fazem um par perfeito
A estúpida sem personalidade
E o idiota que liga apenas pra futilidade
Mas não podem ser felizes juntos... Porque ela te deixou.

Não me olhe como se fosse a culpada,
Quem fez a escolha foi você
Ao optar por uma garota estúpida
Você me deixou livre

Eu pareço ingênua e insegura
Eu falo coisas que às vezes não fazem sentido
E por isso eu pareço descartável,
Mas Baby, eu não sou.

                           - Laís R. Dias - 29/10/2011

Enfim.. Um fim




O que um dia foi uma paixão ardente
Se apagou,
O que foi um falho romance
Não passa hoje de um passado distante.


Felicidade, carinhos e afagos.
Hoje eu encontro em outros braços
E posso-te dizer que estou melhor assim.


Se antes me batia o receio
Hoje eu estou mais segura
Mais madura
Mais certa de quem eu sou.


A você deixo um adeus breve
Longe da paixão exagerada
Que um dia dedique a ti.


Um de contos de fadas real
Uma emoção sem igual
Longe de quem me fez tanto mal
Hoje enfim pus um ponto final...


E não me resta saudade
Ou motivos pra infelicidade
Hoje eu sei que encontrei
O cara que eu sempre busquei

           - Laís R. Dias 06/07/2011

07/05/2013

E faltam palavras

Já sentiu alguma vez as palavras faltarem de forma tão absurda ao ponto de não saber descrever como está? Isso não deve ser algo muito normal... Mas é sempre assim, meu aniversário vem chegando e por algum motivo a tristeza que eu havia conseguido (há muito custo por de lado) se apodera da minha mente sem nenhuma permissão, sem razão... sem nenhum motivo identificado. Não sei porque o passado vive me atormentando, não fui uma garota exemplar, mas também não fui nenhuma garota má que foi mandada mil e quinhentas vezes para zilhões de reformatórios ou colégios internou... Acho até que fui bem comum, comum porque apesar de me entupir de atividades extracurriculares (e manter as médias acima de 8) eu poderia facilmente passar desapercebida por ser "sem graça", ou como eles mesmos dizem "sem sal"... Quando eu era menor me sentia não apenas inferior, mas também mais jovem, fora de centro e longe de poder ser comparada com alguma garota popular, e isso porque eu preferia (e ainda prefiro) esconder meu corpo e não mascarar a idade que tenho, não uso maquiagem até hoje (aos vinte anos de idade), as vezes as pessoas pensam até que eu sou relaxada com a minha aparência por usar roupas largas que não revelam NADA do meu corpo. Bem na verdade meu guarda-roupas ta mesmo é precisando de uma fada alá Cinderela, já que ele é infantil e pouco "mulher". E ainda sim o meu estilo não me incomoda... Mas incomoda os outros e eu nem mesmo sei porque.