28/06/2010

Carpe Noctem

Eu não lembro quantas vezes já chorei pelas palavras que ela proferiu com intenção de me magoar, já não lembro quantas vezes me odiei por detesta-la, perdi as contas de quantas vezes quis morrer para ver se essa dor que me consome aos poucos vai passar. Já esqueci o que significa rir quando ela esta presente.

Muitas vezes pisoteada, varias e varias vezes esquecida... Onde esta o alento quando eu preciso? Onde se encontra o carinho e afeto nessas horas? Até onde terei de derramar lágrimas sozinha?
Só a dor e desespero... Confusões são deixadas de lado, nunca adiantou falar não é mesmo? Vontades também não são validas. Então o que resta? Para que ver mais um dia nascer se não há nele a beleza que eu busco? Qual é o motivo para se ter esperança... Nunca vai mudar mesmo. São só promessas vazias afinal.

Ela sabe me ferir melhor do que ninguém, sempre reclamando, e apontando cada minúscula falha. A pior parte de mim começa dentro dela, dele... dos dois.
Quem tem culpa no cartório? Quem deve julgar e ser ser julgado?

Vivi 18 anos apenas para ser humilhada? Manipulada com um brinquedo que só é utilizado quando ainda tem graça?

Se cava minha cova aos poucos porque não me dar uma corda para que eu termine o trabalho sujo?

Eu só desejo tranquilidade... E confesso que estou farta deste mundo.

Carpe Noctem

25/06/2010

Continuo angustiada ...

Hoje eu acordei, perambulei pela casa, me imaginei em um outro lugar, tentei de tudo pra não me sentir sozinha. Não consegui, o sentimento me persegui e insistiu em me ter como companheira, dei vários suspiros, tentei ignorar, fingir que não estava lá... Fugir um pouco da realidade amarga e torturante.

Na verdade o que eu estou sentindo é medo.
A "maior idade" chegou e eu perdi meu colo, meu alento, não tem mais apoio moral, se duvidar nem apoio tenho, acabaram com meu direito a indecisão, colocaram sem permissão um ponto final e definitivo nas ilusões e o melhor (lê-se pior) começaram as falas de "Você não é grande de mais pra isso?", "não acha que esta na hora de mudar sua postura infantil?"... São tantas coisas a determinar, que eu realmente já não sei mais o que fazer.

As vezes eu me vejo perdida, morrendo de vontade de chorar e gritar sem motivo, de ter um colo, um amigo que eu pudesse contar, irônico, eu amo e e confio minha vida a eles, mas não meus sentimentos, alguns eu até conto, são banais e sem importância, mas outros, como esse que sinto agora prefiro guardar só pra mim.

Me pego pensando em lembranças e mágoas passadas, coisas que eu tente, fingi ou realmente pus um ponto final. Mas ainda dói, leio livro, procuro distrações, não quero machucar/preocupar outros com minhas feridas e mágoas, como dizem: "Já estou grandinha pra isso".

Parece que em algum ponto da minha vida perfeitamente planejada eu errei, e não consegui viver o que eu deveria, não aproveitei os momentos que tive, e os que eu aproveitei por um motivo bobo apaguei com a borracha, simplesmente apertei o delete.

Ao que tudo indica a falsa certeza que me cercou até os dias de hoje esta cada dia mais fragilizada, talvez até já tenha se quebrado por completo.

O que restou de todos os meus 17 anos passados? Milhares de palavras hoje confusas, medos aos montes, sonhos por realizar e nenhuma gota se quer de certeza.

E nem adianta dizer que é fase, que passa... Não vai passar, posso fazer 19 ou morrer com 18 tanto faz, mas ainda tenho duvidas e pelo visto vou continuar a tê-las já que ninguém é capas de responder.

O jeito é botar tudo pra fora da melhor maneira que eu consigo... Escrevendo.
Enquanto,ainda vou guardar algumas coisas só pra mim, porque acima de tudo o que eu sinto e da confusão (mental) em que vivo, a vontade de esconder algumas coisas ainda esta presente... E por mais que eu negue eu sei o como esconder as coisas muito bem.

Afinal...

"
Você pode ver meu sorriso
Não notar minhas lágrimas
Achar tudo esta muito normal
E chorar quando estiver em meu funeral
" (By Sakura Ikari)



Kissus

06/06/2010

Caçada

Um coração desritimado, batia freneticamente, as lágrimas fariam seu trabalho de alivias as emoções e as pernas corriam sem rumo aparente.
A chuva a deixava pesada transformava sua blusa branca em uma malha transparente, colada em seu corpo, a calça jeans limitava seus movimentos à medida que grudará em suas pernas. Ela mal se deu conta de que um ser da noite estava a sua procura.
Uma musica alta impedia que seus sentindo voltasse a funcionar, a melodia suave e nostálgica, ganhava força, descrevia seus sentimentos naquele momento, e seus lábios sussurravam a canção desesperada.

You never go
[Você nunca vai embora]
Your always here (suffocating me)
[Você está sempre aqui (me sufocando)]

Under my skin
[Debaixo da minha pele]
I cannot run away
[Eu não consigo fugir]
Fading slowly
[Sumindo lentamente]

Um sorriso cruel brotou dos lábios sanguinários da criatura, ele conhecia bem sua vitima, a menina tornara-se adulta a poucos dias e já sofria com as responsabilidades que adquirirá... Talvez para ela fosse bom que ele a troce-se para a vida noturna e a cria-se como filha ou um brinquedinho qualquer, mas para isso precisava ter certeza que a alma daquela “criança” estava despedaçada o suficiente para entregar-se a ele.
Do alto telhado do santuário tinha a visão que precisava, a rua plana, mal iluminada e sem grandes construções, a não a ser a do próprio santuário, era o lugar perfeito para servir-lhe de observatório.


I'd give it all to you
[Eu te daria tudo]
Letting go of me
[Pra me esquecer]
Reaching as I fall
[Alcançando enquanto eu caio]
I know it's already over now
[Eu sei que isso acabou agora]
Nothing left to lose
[Nada mais a perder]
Loving you again
[Te amando novamente]
I know it's already over, already over now
[Eu sei que isso acabou, já acabou agora]


A melodia continuou a absorvê-la, deixando a cicatriz um pouco mais fácil de ser suportada, mas as lagrimas continuaram incessantes, ela jurava para si própria que aquela seria a ultima briga entre ela e seus familiares, seria a ultima vez que as pessoas que amava a abandonavam... Estava cansada de ser deixada para trás sozinha, com o sentimento de sempre estar sendo vigiada, exigida, tentada a entregar-se a escuridão.

My best defense, running from you
[Minha melhor defesa, fugir de você]
I can't resist, take all you want from me
[Eu não posso resistir, pegue tudo que quiser de mim]
Breaking slowly
[Me machucando devagar]

Ela já estava quase sumindo seu seu campo de visão, quando ele passou a pular, veloz, pelos telhados das pequenas e aconchegantes casas, demorou milésimos de segundos para alcançá-la e mais um minuto para chegar no ponto certo para encurrala-lá, a chuva caia ainda mais densa tornando sua passagem invisível, segura.


I'd give it all to you
[Eu ti daria tudo]
Letting go of me
[Para me esquecer]
Reaching as I fall
[Alcançando enquanto eu caio]
I know it's already over now
[Eu sei que isso acabou agora]
Nothing left to lose
[Nada mais de perder]
Loving you again
[Te amando novamente]
I know it's already over, already over now!
[Eu sei que isso acabou, ja acabou agora]


O choque entre os corpos foi iminente, ele relaxou os músculos para nãos machuca – lá, ela correu ainda mais rápido, até bater de frente contra algo que pareceu-lhe um murro de concreto. A jovem caiu para trás com o choque, parando a metros de distancia dele, seus fones de ouvidos também caíram fazendo a melodia ecoar como se viesse de muito longe.

You're all I'm reaching for
[Você é tudo que eu estou procurando]
It's already over
[Já acabou]
All I'm reaching for!
[Tudo que eu estou procurando]
It's already over now
[Já está acabado agora]

-Desculpe – Ele murmurou sem encará-lo.

- Tudo bem – Ele respondeu estendendo a mão para auxiliá-la.

- Q-quem é você? – Perguntou encarando o pesado sobretudo que o protegia da chuva enquanto levantava-se.

- Me chamo Allexandre pequena donzela e você como se chamas? – Seu tom sedutor fez seus instintos acordarem, mas era tarde o caçador já tinha sua preza e o fim estava próximo.

- Alice. – Ela falou gentil, encarando os olhos cor âmbar.


Sem que Alice notasse, ele tirou os cabelos escorridos molhados de seu ombro, levando-os para trás de seu pescoços. Tudo que ela sentiu foi um toque breve e gelado, que causou arrepios em seu corpo, deixando os pelos de sua nuca em pé.


I'd give it all to you
[Eu daria tudo para você]
I offer up my soul
[Eu ofereço minha alma]
It's already over, already over now!
[Já acabou, já acabou agora]

Com sua audição aguçada ele pode escutar a musica claramente, entendeu aquilo como pedido que estava disposto a cumprir, e tão fácil quanto a caçada fora seu momento de gloria, alimentando-se do sangue Alice, que por sua vez nem ousou se quer a gemer algo em protesto, a letra da musica mais uma vez fazia sentido e sua vida. “I offer up my soul”.

I'd give it all to you
[Eu ti daria tudo]
Letting go of me
[Para me esquecer]
Reaching as I fall
[Alcançando enquanto eu caio]
I know it's already over now
[Eu sei que isso acabou agora]
Nothing left to lose
[Nada mais de perder]
Loving you again
[Te amando novamente]
I know it's already over, already over now!
[Eu sei que isso acabou, ja acabou agora]

Agora já havia acabado, Alice não tinha mais uma vida normal, Alexandre a puxará para vida escura e desesperadora dos malditos seres da noite.

05/06/2010

Só Desta Vez

Só Desta Vez

Só desta vez eu queria ficar embebida
embriagada por uma musica que me leva-se alem dos sentidos de dor
Que as feridas se fechassem em um único estante
Mais não foi possível, realizar esse feito o que realmente
Me trouxe o velho e sentido de agonizante

Poderia eu liberar tais lágrimas?
Sem ser interrompida com as palavras ríspidas
E agressiva?
Sem ter que responder o porquê ou esconder
Tais sentimentos, profundos e dolorosos ressentimentos?

Não fui criada em um palácio
Mais tive regras tão severas quantos os mesmo
Que me distanciaram de tudo que realmente seria natural
Ouvir boa musica, ter sempre em seus ouvidos palavras de elogios .

Enquanto o mundo cai
Eu subo no patamar de inocente, criança
Por que Isso dói?
Por que ainda tenho esperança?
Nada nunca sofre mudanças...

O quarto é uma parte de mim
Uma extensão do nada
Da dor, e do amor
Ora azul celeste, ora vermelho sangue.

Sakura Ikari - 20/02/2009

O anjo de Lúcifer

O anjo de Lúcifer

Atrás desses olhos encontra-se a verdade e então a angústia
Atrás desse belo sorriso, eu vi a tragédia
A pele perfeita esconde os segredos por dentro,
Forças silenciosas que secretamente acendem seus pecados

Então...
Voe pra longe
Voe pra longe da tocha da culpa
Eles te caçam - Anjo de Lúcifer

Nunca Viveu
Você nunca morreu
Sua vida foi negada
Eles te chamam de
O Anjo de Lúcifer

Além destas nuvens você pode esconder todas suas lágrimas
Além deste mundo você estará protegida de seus medos
Os corações deles temem suas demandas
Você sabe que as mentes deles não te aceitarão
Eles nunca entenderão...

Por conta própria
Eu sei que você pode fazer isto
Verdade ou osso
Eu sei que você pode se livrar disto
Sobreviva só
Eu sei que você pode conseguir isto
Oooooooooh ooh ohhhh oooh oh ooohhh

Voe pra longe
Voe pra longe
Corra pra longe
Corra pra longe
Se esconda bem longe
Se esconda bem longe
Anjo de Lucifer (x3)

The Rasmus (tradução de Lucifer's Angel)

Duvidas e solidão.

Duvidas e solidão.

Só na cala da noite vazia
Pensamentos gritantes
Palavras errantes
Medos descabíveis

Sentimentos agonizantes
Se confundem nas
Rotinas desgastantes
Quem erra? Quem deixa de Errar?

Quantas escolhas feitas ao léu.
Quantos deixados no mausoléu
Enterrados, Massacrados
Ou apenas esquecidos?

Como saber o que ser?
Qual é a hora de crescer?
Quando nos calamos?
O quanto mudamos?

Verdade, mentiras?
Amores e iras?
Fazer ou deixar pra lá?
Ficar aqui ou mudar?

Tudo é em vão,
Nada é em vão,
Todos cabem em uma oração,
que seque a batida de um único coração.

Meus medos sem respostas
Minha vida é formada por rotas
Que um dia vão colidir
E tudo que eu tenho há de explodir.

Essas são as duvidas freqüentes
Da mente inconseqüente
Do ser humano confuso.

Sakura Ikari - 05/06/2010

Vida e Morte

Vida e Morte

Do que adianta saber falar?
Palavras em vão soltar
Para serem esquecidas...
Destruídas.

Qual o sentido da vida?
Uma estrada trilhada apenas para ida.
Solúvel, infame, decadente
E ainda sim envolvente.

É hora de escolher?
Mas qual diferença fazer?
Escolher entre bem e o mal?
Mesmo já sabendo o final?

Olhar as estrelas,
Ver o Sol nascer
Morrer em uma curva qualquer
Sem alcançar o que quer.

Não ouvir, não falar
Apenas apreciar
O que foi dado
Antes que seja tomado.

Destinos antes cruzados
Hoje são separados
Para que um dia quem sabe venham a renascer
E tudo novamente viver, até o seu dia de morrer.

Sakura Ikari - 20/06/2009

Vazio

Vazio

Já me senti só
Já chorei por está só
Nada... Tudo
Todos

Sentimentos
Esquecidos, jogados aos ventos
Meros fragmentos
Curados com o tempo

Sim... Não
Talvez...
Amigos, cultivados
E aos poucos deixados
De lado

Vazio, escuro.

Sakura Ikari - 3/12/2009

Coração angustiado...

Sinto que me falta um pedaço... Um buraco esta aberto dentro de mim, talvez minha alma tenha se despedaçado por saber que o destino nos prega peças incompreensíveis, ou apenas por eu me sentir insegura...
Alguém esta partindo e me deixando pra traz, com a agonia da saudade, da tristeza, da solidão. Sei que quando o pressentimento tornar-se verdade eu vou chorar e existe a possibilidade de me partir em tantos cacos que nunca serão capasses de juntar.


Poema

Agonias

Tenho nas mãos um livro,
Que guarda minhas memórias
Ocultas, omitidas, trancadas;
Indo e vindo, se fazendo sentir.

É estranho ter olhos bem abertos
E ver coisas que são julgadas como fantasias
Ouvir tudo deste, e do outro mundo;
e não distinguir de onde vem o que.

Pensar esta se tornando impossível
milhares e milhares de coisas
lotam cada pedaço da minha mente.

Por que simplesmente não grito o que estou pensando
Só me calo perante a agonia que se forma
Fazendo cessar meus sonhos e vontades
Tentando acabar com uma força sem controle.

Tornando-me cada vez
Mais escravo dessas palavras,
Sonhando com o silencio
Que me fará reagir.

Lágrimas, gotas salgadas,
Que rolam sobre minha face
Pálida e fria
Ate chegar aos lábios

Nos lábios rosados
Pelo sangue da veia.
Ela se torna marcante
Assim como seu gosto.

Porque falar pode não adiantar,
Isso não mudará o fato,
Algo esta errado, doendo;
E se fazendo mostrar.
(em meu interior)


Sakura Ikari - 22/08/2008

Enfim 18....

Quem foi que disse que fazer aniversário era uma coisa maravilhosa, e chegar a maior idade um feito, deveria saber que ganhar responsabilidades não é tão interessante assim. E o pior 18 anos nada mais é do que viver 18 anos de lágrimas, torturas, brigas... E alguns momentos de paz e felicidade.
Mas será que ter 18 é tão bom assim?
Creio que é uma data triste, você olha pro lado e sabe que a viva das pessoas que mais ama e que são mais velhas que você esta acabando, esvaindo por suas mãos, alguns sofrem sem serem notados, outros se fingem de condenados... Mas ainda existem brigas... Ainda existem desafios, ainda há muito a se aprender.... E ensinar.
És então que a conclusão é que ter dezoito anos não é nada menos que ver que tudo que você fez, aprendeu e caminhou não chega a um quinto do que ainda tem que fazer, aprender, explorar e lutar para conquistar.
NADA vem de graça, e se para uns dirigir o carro dos pais, afundar-se em bebidas, sexo e drogas é a graça dos 18. Prefiro estar morta e cremada, pra não ter que sofrer baixas ou perdas... Pra não ter que perder a pureza e o jeitinho infantil, para continuar a sonhar e ter um colo ou um abraço para acalentar quando meus medos e pesadelos vierem me assombrar. Para ter um sorriso e uma palavra de sabedoria quando estiver perdida, para ouvir o celular tocar e sentir que do outro lado da linha tem alguém me esperando, desejando minha paz... minha segurança. Para ter sempre alguém acordado de madrugado esperando a chave no portão fazer barulho e perguntar "Como foi?" ou até mesmo para brigar...
Grande coisa fazer 18 anos... ganhamos tantos "direitos" esquecemos dos "deveres" e perdemos os sentimentos que nossos pais, responsáveis ou conhecidos tem por nós.
De verdade, tudo que eu queria era dormir e ver que ainda tenho 12 anos, que tudo que eu passei era um sonho e amanhã eu ainda vou poder brincar com as bonecas deixas na estante empoleirada, sem ter cobranças ou falhar com as expectativas desse "novo ano".

01/06/2010

Palavras

Palavras me foram ditas aos montes
Varias e varias vezes
Algumas fizeram sentido
Outras não.

Muitas me magoaram ao longo do caminho
Chorei, gritei...
E muitas das vezes também me Calei.
Sofrendo sem proclamá-las.

Com elas eu já dei muita risada.
Contei piadas
e animei pessoas.

Através das palavras eu me expressei
Mostrei quem era, quem eu sou
E também mostrei que sei lutar
Sem uma gota de sangue derramar.

Dialoguei,fazendo das palavras uma arma
Empunhando-as com dignidade,
Manobrando-as a minha vontade
Fiz amigos, inimigos e companheiros.

Com palavras singulares
Criei mundos
Fui fundo em faz de conta
Só meu.

Também viajei por palavras de outros
De milênios, décadas e anos passados.
Descobri, conheci, explorei
Coisas que apenas naqueles livros poderei conhecer.

Palavras... Certas ou não
Também demonstram emoção
Que às vezes não cabe dentro de nós.

Elas... Se auto descrevem
São fonte de inspirarão
E graças a elas existe comunicação.

Querendo ou não
As palavras viciam
Criam e destroem
Tudo que podem construir.


Por Sakura Ikari - 01/06/2010