25/08/2011

Meu novo projeto.

Minha nova cria...

Mortes - Mulheres das Sombras.

O título ainda pode sofrer alterações... Ou seja eu posso mudar desse para "Mortes - Faces das Sombras" ou ainda "Mortes - beijos de Adeus"... Como podem notar o nome é a unica coisa sólida que eu ainda não tenho, mas sei que quando tudo estiver quase pronto, meus bons e amigos que também são conselheiros, revisores, críticos, designer's e tantas outras coisas vão me ajudar a escolher um nome mais adequado a obra.

Tenho também o nome de algumas personagens, bem como suas características e um esboço (de uma linha de um caderno da pucca) do que são, como são, como... Ei isso eu não posso contar. Desculpem, mas o segredo é a alma do negócio não é mesmo?

Claro que se alguém por acaso quiser me mandar uma dica ou sugestão de nome, ficarei imensamente grata. Mas nada de nomes comuns galera, pelo menos não tão comuns. Por tanto não me venham com João e Maria... Estamos entendidos?

As personagens por hora são:
Annelize, Luna (por quê será?), Marília, Cecília, Alice e Pain (a culpa será toda dele se o nome do livro mudar).

E para deixa-los ainda mais curiosos a sinopse já esta pronta (e acredito que se manterá inalterada), ai vai:

Todos sabem que a morte tem varias faces, mas e se por um deslize eu lhes conta-se um segredo guardado pelo tempo ao ponto de ser esquecido e nunca questionado?
A sociedade do infinito tem uma razão de ser e existir. As mortes lhes beijaram os lábios de uma forma diferente, alguns chamariam de maldição, outros de segunda chance. Mas e você? O que diria ao ter sua vida ceifada e a sua existência aprisionada em seu antigo corpo?
Se você disse que assumiria o lugar dela, a morte, você tem toda razão. A maldição seria passada a diante e você seria condenado por alguns milhares de anos a representar uma das muitas faces da morte.
Mas não se engane, personificar a morte esta longe de ser algo fácil.


E então... o que acharam do Projeto?
Por favor deixar opinião abaixo. (é sério mais com um tom de brincadeira).


Kissus

07/08/2011

Versos para o meu amado

Toque em meu rosto
Diga o que não pode ser escrito
Sussurre versos ao pé do meu ouvido
Faça-me delirar com a ilusão que criou para nós.

Sei que versos não me fazem amá-lo
Que as palavras não são o motivo para desejá-lo
Se o quero, é porque tudo que eu sinto vai mais além
Do que as frases ou estrofes.

Se o magoei peço que perdoe
Fui tola e insensata
Ao “brigar” como uma ingrata
Sem ter motivo algum.

Não importa por quantos caminhos tenho andado
O quanto tenha comparado
Você não é como ninguém
Que eu tive ou venha a ter.

Pois nem a palavra único pode defini-lo
A perfeição parece lhe abençoá-lo
Mesmo que em ti, ainda existam
Singelos defeitos.

Não ligo para o que dizem,
Para os que falam sem conhecê-lo
Sem referenciá-lo como merece
Acredito que se quer escuto tais palavras de desdém.

Para mim,
Pouco importa
As opiniões, ou bordões
Desde que esteja ao teu lado.

Ah, meu amado
Meu anjo caído
Vindo de outras terras
Outras eras... Outras desventuras

Eu queria demonstrar em versos
Meu amor e meu pesar
Por você aqui não se encontrar
Mas nenhuma palavra me basta.

Meus versos vão de encontro ao infinito
Procurando dissertar
O que sinto sem pensar
E como me sinto no que diz respeito a você.

E nada do que eu dizer
Nunca vai demonstrar
Si quer vai ilustrar
Parte do meu amor por você.

Laís R. Dias ( 7/08/2011)