06/05/2011

O vampiro e a prostituta



Implorar não ia adiantar de nada
Ninguém me ouviria,
Ninguém me ajudaria
Ninguém se atreveria enfrentá-lo

Morte digna para uma ingrata
Morrer calada
Nos braços de um belo predador
Tudo bem, eu aceitei meu destino.

Não era um sonho ou ilusão
Posso dizer isso pelo falhar de meu coração
A cada nova sugada contra minha pele ainda quente
A cada novo gole de sangue, ele apreciava meu gosto... Minha vida.

Sabia que ele era diferente,
Assim que nos cruzamos,
Eu já sabia que minha vida ia se esvair
Só de encarar o seu olhar.

Não entendia sua pressa
Sua fome e seu prazer,
Não havia muito a se fazer.

Suas prezas em minha pele cravadas
Me deixava de certo alucinada,
Mesmo estando tão próxima do fim
Já não ligava para o que seria de mim.

Encarei-o nos olhos pela ultima vez,
Admirando meu ultimo freguês
A quem saciei todas as vontades
Antes de padecer.

Sakura Ikari – 06/05/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário