22/05/2011

10 % do PIB já

Eu gostaria de viver em um país onde a educação é valorizada, onde tanto os professores como os ate's (ex-inspetores de alunos) ganhassem o minimo para se manterem em seus trabalhos sem que tenham de fazer jornadas exorbitantes ou realizarem mais de uma jornada. Seria um ótimo.

Pena que esse sonho esta longe de ser real, pessoas subjugam a educação como um fruto único de escolas e mestres, quando na verdade deveriam olhar para a totalidade de tudo que a futura geração do país recebe, seja do pai, da mãe, do professor ou do colega.

A educação chegou a níveis críticos porque historicamente, escolheu-se gastar pouco e "ENSINAR" muitos... Perdemos a tão sonhada eficácia e eficiência para ganhar depósitos de pequenos cidadãos, que por sua vez, quando chegar a hora de votar serão facilmente ludibriados por jingles, artistas famosos, representantes religiosos e tantos outros falsos candidatos a uma mudança real no Brasil.

Eu já estudei em escola particular, mas a maior parte do meu ciclo educacional de base (ou seja, do pré ao terceiro colegial) foi realizado em escolas publicas, falo com propriedade quando digo que professores ganham uma miséria para suportar alunos que são ensinados desde muito pequenos, que a escola é um lugar para se ir todos os dias para "livrar" um pouco os país da convivência difícil com seus filhos mal educados.

Na escola, faltam: Cadeira, merenda, professores, material didatístico, água, luz e as vezes o prédio tem até algumas infiltrações. Um ótimo cenário de filme de terror não concordam?

Hoje as escolas são vistas como únicos responsáveis pela educação de mini seres que, em casa, sob a tutela e ótica dos país, são reis e nunca fazem nada errado. Já presenciei casos de mãe querendo bater em professor porque o filho repetiu de ano. Será que sou só eu que lembro da mãe que entrou com uma arma na escola e atirou sei lá em quantas pessoas porque a filhinha dela havia passado no vestibular e por causa da reprovação não iria poder cursar a faculdade?

É acho que sim, e o mais interessante, NINGUÉM chorou por isso, NINGUÉM fez uma manifestação por isso, o caso se quer chegou a repercutir. Agora o massacre Realengo, logo logo vira filme.. Quanta hipocrisia.

Chorar e deixar um país de luto por três dias, tudo bem, agora aumentar o investimento em educação e segurança nem pensar certo?

E muitos vão dizer: "Você nasceu no país errado" e eu educadamente responderei:

"E eu não nasci no país errado... Muito pelo contrario este é o meu país, e sim a parte do hino que diz "(..)Verás que um filho teu não foge a luta, e ter a quem ti adore a própria morte(...)" faz todo sentido pra alguém como eu.

E repito, não nasci no país errado, falta na verdade, deixar o comodismo de lado e ir lutar de forma justa e honesta, não só em pequenas escrever e criticar um governo, nada vai mudar se na hora que formos consultados, ou para os que ainda não compreenderam minha colocação, nada mudará se na hora que nos convocarem a ir pras urnas não votarmos conscientes de quem estamos colocando em nosso governo, para ser nossas vozes, nossos "projetistas", nossos votos."

Quero mesmo é mudanças, elas até podem ser a longo prazo. Mas quero datas, metas definidas... Casei de ser passada pra trás por um grupo de mercenário que só vota seu aumento de salário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário