07/08/2011

Versos para o meu amado

Toque em meu rosto
Diga o que não pode ser escrito
Sussurre versos ao pé do meu ouvido
Faça-me delirar com a ilusão que criou para nós.

Sei que versos não me fazem amá-lo
Que as palavras não são o motivo para desejá-lo
Se o quero, é porque tudo que eu sinto vai mais além
Do que as frases ou estrofes.

Se o magoei peço que perdoe
Fui tola e insensata
Ao “brigar” como uma ingrata
Sem ter motivo algum.

Não importa por quantos caminhos tenho andado
O quanto tenha comparado
Você não é como ninguém
Que eu tive ou venha a ter.

Pois nem a palavra único pode defini-lo
A perfeição parece lhe abençoá-lo
Mesmo que em ti, ainda existam
Singelos defeitos.

Não ligo para o que dizem,
Para os que falam sem conhecê-lo
Sem referenciá-lo como merece
Acredito que se quer escuto tais palavras de desdém.

Para mim,
Pouco importa
As opiniões, ou bordões
Desde que esteja ao teu lado.

Ah, meu amado
Meu anjo caído
Vindo de outras terras
Outras eras... Outras desventuras

Eu queria demonstrar em versos
Meu amor e meu pesar
Por você aqui não se encontrar
Mas nenhuma palavra me basta.

Meus versos vão de encontro ao infinito
Procurando dissertar
O que sinto sem pensar
E como me sinto no que diz respeito a você.

E nada do que eu dizer
Nunca vai demonstrar
Si quer vai ilustrar
Parte do meu amor por você.

Laís R. Dias ( 7/08/2011)

Nenhum comentário:

Postar um comentário