16/02/2015

Quase lá

Tal e qual foi angustiante fazer 18 anos, esta sendo trágica a passagem para os 19... Algumas coisas mudaram em um ano, como já era de se esperar. No entanto eu continuo como a garota indefesa, inocente e boba que qualquer um é capas de enganar. Um gênio domado com um plano de vida perfeito, sem grandes emoções ou espaço para erros.
Ainda enho medo de crescer e perder minha essência, seja ela qual for, pois ainda não descobri se a menina-garota que morreu a pouco ainda existe dentro da garota-adulta que por hora é minha fase... Será que amanhã me transformarei na jovem-mulher?
Ah... o amargo sabor das duvidas, das incertezas, dos meus dolorosos devaneios sobre o futuro. Adoraria ser otimista e rir de piadas sem graça, sair pra beber, curtir sem levar o amanhã em conta.

(Textos escondidos que ainda me ferem, atormentam  e revelam parte daquilo que ninguém nunca viu dentro de mim)

Nenhum comentário:

Postar um comentário